top of page

Blog para compartilhar conhecimento, bons livros, reflexões e aprendizados

Conteúdo para quem procura ter uma vida mais produtiva, criativa e intencional

Como melhorar a sua interação com as pessoas, se tornando uma mãe ou pai melhor e um líder mais eficiente? 

Resumo Como fazer amigos e influeciar pessoas

Publicado em 1936, este é um dos livros mais vendidos de todos os tempos onde Dale Carnegie ensina vários princípios sobre o relacionamento interpessoal. 


Princípios atemporais que continuam importantes e, talvez, até mais críticos numa geração que cada vez mais utiliza o texto em vez das conversas para se comunicar.


O livro conta várias histórias de pessoas influentes da época e como elas usaram os princípios como estilo de vida e, por consequência, obtiveram muito sucesso naquilo que faziam.


No total, são 30 príncipios. Muita coisa para memorizar. Por isso, fiz esse resumo visual do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas” para você ter depois de ler e se lembrar dos pontos importantes:


Resumo visual Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

 

Os 5 principais insights


1. O nome é o som mais importante para as pessoas


O seu próprio nome é talvez a palavra que você mais ouviu no início da sua vida, por isso ela soa como música para os seus ouvidos. Ouvir outra pessoa falar o seu nome lhe traz uma boa sensação.


Em qualquer conversa, independente de cargo ou situação da pessoa, faça o máximo para lembrar do nome dela.


Muitas pessoas usam a desculpa “Eu sou muito ruim em decorar nomes.” (eu inclusive), mas no fundo é uma questão de não ter um sistema bom para decorar nomes e não ter vontade para gastar tempo e energia com isso.


Se quer ter uma boa conversa e ser influente, lembre-se do nome das pessoas.


2. Fale sobre os interesses deles, não seu


Fale sobre as coisas que as pessoas têm interesse, não sobre o que você tem interesse e acha que as pessoas irão gostar.


As pessoas, quando estão conversando ou negociando, querem saber o que elas irão ganhar, não querem saber o que você irá ganhar ou quanto esforço você precisa gastar para que elas consigam algo.


Se você quer ajudá-las, precisa falar na língua delas e mostrar como elas se beneficiarão com isso.


3. Evite a discussão


A melhor forma de ganhar uma discussão é evitando a discussão.


Muitas vezes entramos numa discussão amigável que acaba se tornando uma guerra de egos, onde a melhor solução fica de lado e o que entra em jogo é conseguir impor o seu ponto em vez do ponto da outra pessoa. Nesses casos, não teremos um vencedor, apenas a imposição de um ponto de vista.


Tente sempre entender o outro lado e refletir sobre a melhor solução.Deixe o ego de lado e tenha respeito sobre todas as opiniões.


Ouça com atenção e evite contra argumentar de forma direta e agressiva, isso só irá fazer com que as pessoas subam barreiras para qualquer tipo de argumento que você venha a falar, independente de você estar certo ou errado.


4. Faça as pessoas falarem “sim, sim” imediatamente


Numa argumentação, comece fazendo as pessoas falarem sim a suas suposições.


Com isso, elas ficarão mais cooperativas e abertas aos argumentos seguintes. Se você começar e receber um não logo de início, o cérebro humano se fecha para novas propostas e a sua argumentação irá fracassar.


5. Dê lhes uma boa reputação para seguir


Se você quer ajudar alguém, a melhor forma de incentivo é dar uma boa reputação para a pessoa seguir.


Incentive, por exemplo, o seu filho falando sobre o orgulho que você tem por ele ser um bom aluno e se esforçar para aprender as matérias. 


Mesmo que ele não seja ainda um excelente aluno, ele irá se esforçar mais para ser, pois agora ele tem uma boa reputação para manter. Funcionando quase como uma profecia auto-realizável.


Claro, para isso é necessário utilizar os outros princípios, como elogiar os pequenos avanços, mostrar que as falhas são fáceis de corrigir, não criticar diretamente os erros, entre outros.


 
Livro Como fazer amigos e influenciar pessoas

Recomendo a leitura do livro, que se provou com o teste do tempo. Se ainda faz sucesso é porque alguma coisa de interessante ele tem a mostrar. Clique na imagem do livro para comprar agora mesmo na Amazon.


Esse resumo é para que você não esqueça dos principais pontos, leia o livro completo para conseguir capturar esses e muitos outros pontos.


Ler mais livros é compartilhar conhecimento.


Se você curtiu, compartilhe a página com os seus amigos e siga-nos nas redes sociais (Instagram e YouTube)


103 visualizações0 comentário

Quer descobrir como o mágico faz o seu truque? Olhe para onde todos NÃO estão olhando.



Um dos grandes segredos do mágico é conseguir desviar a atenção da plateia enquanto executa o seu truque.


Para encontrar o que fazer no seu plano B, uma boa habilidade a desenvolver é conseguir enxergar o que os outros não estão enxergando.


No começo da Internet era possível fazer dinheiro se você soubesse criar um site, todo mundo queria aprender a criar um site. Depois, todo mundo queria criar um app ou uma rede social. Essas eram as “grandes ideias” que todos estavam tendo.


Mas não é aí que a mágica acontece. 


Pare de olhar para onde todos estão olhando e descubra o que somente poucas pessoas (ou ninguém) estão fazendo.


 

 

Ler mais livros é compartilhar conhecimento.


Se você curtiu, compartilhe a página com os seus amigos e siga-nos nas redes sociais (Instagram, Pinterest e YouTube)

45 visualizações0 comentário

Como encontrar o nosso Elemento? O nosso propósito de vida? E como podemos criar um ambiente para que nossos filhos possam descobrir com mais facilidade?

O Elemento Ken Robinson

Ken Robinson mostra com exemplos de histórias reais como os maiores gênios da humanidade descobriram seus elementos e transformaram o mundo. Geralmente, lidando com adversidades, dúvidas e indo contra o senso comum.


Através desses exemplos, ele pontua alguns pontos importantes para nos ajudar a encontrar o nosso Elemento. 


Devemos repensar as nossas habilidades e a nossa criatividade de uma forma diferente do que o sistema de educação faz hoje em dia.


Devemos refletir sobre as atividades que nos deixam em “Flow”, aquela sensação de foco onde perdemos até a noção do tempo. Esse é um grande sinal sobre o nosso próprio Elemento.


Devemos procurar as mídias que ficamos confortáveis e criativos. Procurar nossa tribo e mentores que nos auxiliem no caminho.


E Sir Ken Robinson também questiona muito como o sistema educacional acabou se esquecendo desse papel fundamental de ajudar nossas crianças a encontrar o próprio Elemento, priorizando os testes padronizados e métricas de desempenho das instituições.


Aliás, o seu TED talk é um dos mais vistos da plataforma, onde ele comenta como as escolas hoje em dia estão destruindo a nossa criatividade. Veja o vídeo aqui.


Para entender melhor do sobre o que fala o livro, veja o resumo visual “O Elemento” (Ken Robinson) que preparei para você:

Resumo Visual Ken Robinson
 

Os 5 principais insights

1. O Elemento é único


O Elemento é quando encontramos algo que amamos e que também temos aptidão para fazer. E isso é totalmente pessoal. Somente você poderá saber o que realmente te move.


Mas o que normalmente acontece é que acabamos seguindo o que nossos pais acham que é bom para nós ou seguimos aquilo que tende a dar mais dinheiro. Passamos a vida sem descobrir de fato o nosso Elemento.


2. Nossas Habilidade


Uma das dificuldades para encontrarmos nosso Elemento é que não temos consciência das nossas reais habilidades. O sistema educacional, na tentativa de mensurar aquilo que funciona, acabou focando em apenas algumas formas de inteligência: linguística e matemática. Com testes padronizados que medem se o aluno tem a capacidade de decorar a matéria.


O que acontece é que as crianças que possuem habilidades mais atreladas a outros tipos de inteligência (musical, espacial, cinestésica) podem sair da escola achando que não são boas o suficiente, simplesmente porque não foram medidas da forma correta.


3. Encontre sua mídia e sua tribo


Às vezes, descobrir o seu Elemento acontece não quando você se questiona sobre sua paixão, mas pela facilidade e interesse sobre uma mídia.


Por exemplo, você começa a “brincar” com uma câmera fotográfica, começa a pesquisar como melhorar suas fotos e quando vê, está apaixonado pela fotografia. Talvez, você descubra sua verdadeira paixão aí, não porque um dia viu uma foto e achou que aquilo seria seu propósito, mas porque viu através de uma mídia (a fotografia) que poderia se expressar e ajudar os outros a verem o mundo de uma forma diferente. A mídia te levou ao Elemento.


Da mesma forma, às vezes você se encontra porque conhece a tribo certa. Você gosta tanto do estilo de vida das pessoas que acaba encontrando o seu Elemento, foi o que aconteceu com a atriz Meg Ryan, que mesmo tímida amou o ambiente artístico e acabou virando uma atriz consagrada.


4. Mentores


Encontrar mentores na hora certa pode fazer toda a diferença na vida de uma pessoa. Não por acaso, bons professores marcam a vida de pessoas de sucesso, pois eles aparecem em um momento crítico onde as pessoas estão se descobrindo e, consequentemente, descobrindo o seu Elemento. Mentores podem ter 4 tipos de papéis na nossa vida (podendo ter 1 ou até os 4 ao mesmo tempo): Reconhecendo nossos talentos onde os outros não enxergaram, encorajando a investirmos mais tempo nas nossas habilidades, facilitando o caminho com conselhos e técnicas, e nos desafiando para superarmos nossos limites.


Achar o mentor certo pode ser decisivo na descoberta do nosso Elemento.


5. As 3 barreiras

Encontrar o seu Elemento é apenas uma parte da caminhada porque existem 3 grandes barreiras para você perseguir a sua paixão:

  1. A barreira pessoal: encarar os próprios medos para abandonar o caminho atual e seguir um novo e desafiante caminho em busca de sua paixão

  2. A barreira social: encarar seu pais e companheiros sobre uma mudança na sua vida. Os pais de Paulo Coelho  chegaram a interná-lo e dar tratamento de choque para ele desistir de ser escritor. (Bem extremo, mas é uma história que não conhecia).

  3. A barreira cultural: A sociedade também impõe certas limitações. Na sociedade, a profissão define quem é a pessoa. E existe uma hierarquia não divulgada das profissões. Mas será que deveria ser assim? 

Escolher o caminho para viver fazendo aquilo que te dá prazer é um caminho difícil. Provavelmente, você estará enfrentando uma ou mais dessas barreiras. E a pergunta que você deve fazer é: “Que preço você está disposto a pagar por isso?”


 

Eu li esse livro há muito tempo atrás, na época que entrei na faculdade. Foi um daqueles livros que abriu a minha mente.


Muito tempo depois resolvi trilhar o caminho do Elemento, passando por algumas das dificuldades descritas no livro.


Hoje, consigo falar que é um caminho possível (mas nada fácil). Por isso, recomendo que você também leia o livro, encontre o seu caminho e, mais importante, ajude no caminho da próxima geração.


Obs.: Se você se interessa pelo tema, deixe o curtir no post para que eu faça mais resumos a respeito e escreva mais nas minhas reflexões.


 

Esse resumo é para que você não esqueça dos principais pontos, leia o livro completo para conseguir capturar esses e muitos outros pontos.


Ler mais livros é compartilhar conhecimento.

Se você curtiu, compartilhe a página com os seus amigos e siga-nos nas redes sociais (Instagram e YouTube)

87 visualizações0 comentário
bottom of page