top of page

Torne sua vida mais PRODUTIVA, CRIATIVA E INTENCIONAL

Não sei se deveria expor isso...

“Fiquei anos sem terminar algo, porque, claro, quando você termina, você pode ser julgada” - Erica Jong


O medo de se expor nos bloqueia de criarmos algo novo, de agregarmos algum valor, seja uma boa ideia em uma reunião, um comentário em um post ou publicar algum tipo de conteúdo.


Medo de ser julgada

O medo de ser julgado faz com que as pessoas fiquem cada vez menos colaborativas até o ponto que param de criar.


O problema é que o mundo fica pior quando não compartilhamos conhecimento. Acredito que a sua experiência e seu conhecimento podem ajudar outras pessoas que estão passando pelo mesmo momento ou ainda irão passar.


Mas o fato de achar que não é bom o bastante ou que o seu conteúdo não irá agradar, faz com que tudo fique guardado apenas para você e isso é egoísmo.


No fundo, temos insegurança. Todos nós temos. Criar algo novo colocar isso em prova como bem disse Erica Jong no começo do post.


Essa insegurança tem até um nome bonito no mundo corporativo: perfeccionismo. Perfeccionismo é nada mais do que o medo de ser julgado com um prazo de entrega.


A melhor forma de não ser julgado é não ter falhas, entregar algo impecável. Nos matamos para ser a prova de balas. Cada detalhe precisa ser milimetricamente pensado. Porque no fundo, temos medo de sermos julgados, porque vivemos em um ambiente onde as falhas não são aceitas.

“Perfeccionismo é se esconder de entregar o trabalho!” Seth Godin

Não estou falando que o trabalho não precisa ter uma qualidade alta. Acredito que tudo que fazemos precisamos fazer com qualidade, mas não priorize a perfeição acima da entrega.

Não deixe que o medo de ser julgada interfira

Não deixe que o medo de ser julgado interfira no seu processo criativo. CRIE e ENTREGUE

O melhor jeito de fazer isso é se comprometer a entregar algo independente do resultado, independente da crítica.


Quando escrevi o livro em 30 dias, eu sabia que não estava perfeito (inclusive com vários erros de português), mas eu não estava interessado no perfeito, eu queria bater a minha própria insegurança.


Se você, assim como eu, Erica Jong e mais uns 6 bilhões de pessoas sofrem desse mal (Zlatan Ibrahimovic não rs), sugiro que encare a sua insegurança de frente, em ambiente controlado. O caminho é entregar algo e aprender com ele. Depois, repita o processo várias vezes.


Escrevo dois posts por semana. Muitos deles não passam de 20 visualizações, mas o resultado em si não importa, o que importa é que estou testando, vendo o que funciona e o que não funciona nos meus conteúdos.


Se está começando, pare de focar nos resultados. A quantidade de likes só vai aumentar a sua insegurança. Foque no processo, em melhorar a entrega, sem se esconder atrás dela, sem deixar de entregar porque não está perfeito.


Entregue o imperfeito.

Como disse de forma um pouco radical, Elizabeth Gilbert, autora de Comer, Amar e Rezar: “A perfeição é inalcançável. É um mito, uma armadilha, uma roda de hamster que irá te levar à morte”.


O mundo precisa de inovação, de pessoas que façam e agreguem valor.


Abrace a sua insegurança e não deixe que ela bloqueie o seu potencial.


Crie e compartilhe conhecimento!


Abrace a insegurança
 

Posts Relacionados:

 

Livros para os questionadores

Ler mais livros é compartilhar conhecimento.Se você curtiu, compartilhe a página com os seus amigos e siga-nos nas redes sociais (Instagram e YouTube)

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page